Património

ARQUIVO HISTÓRICO

Não obstante a Santa Casa da Misericórdia de Sintra ter sido fundada em 1545, a documentação do seu Arquivo Histórico remonta à Idade Média. A razão é simples: a Misericórdia, à data de fundação e por alvará de D. João III, anexou o Hospital do Santo Espírito e a Gafaria de Sintra. Por via dessa anexação, todos os foros, rendas e outros bens patrimoniais das citadas instituições foram confiados à administração da Misericórdia, assim como os «tombos dos bens e heranças […] e quaisquer livros e escrituras e provisões».

Foi Braamcamp Freire quem primeiro chamou a atenção para o valor do cartório da Misericórdia de Sintra – estávamos em 1885. Mais tarde, a ele se referiu o Conde de Sabugosa, na sua obra O Paço de Cintra (1903). No entanto, só na década de 1930, por ação de Francisco Costa e de João Martins da Silva Marques, se inicia o processo de constituição do Arquivo Histórico, numa altura em que a documentação estava em risco. Posteriormente, isto é, em 1962, o acervo foi depositado no Arquivo Histórico Municipal de Sintra, à data dirigido por Francisco Costa. No início da década de 1980, o corpus documental da Misericórdia foi transferido para a sede da instituição, na Rua da Pêndoa. Desde 1997, o Irmão Prof. Dr. Carlos Manique da Silva tem desenvolvido a inventariação do Arquivo Histórico, das obras de Arte Sacra e de outro património da instituição. Muitos têm sido os visitantes que têm acedido ao nosso arquivo, com uma contextualização histórica realizada pelo Prof. Dr. Carlos Manique, responsável ainda, pelo trabalho de compilação de importantes registos históricos que deram origem a obras disponíveis para consulta e/ou comercialização na sede da Santa Casa da Misericórdia de Sintra.

Principais séries que constam no Arquivo Histórico da SCMS: 

- Acórdãos;

- Provisões e Alvarás;

- Correspondência recebida;

- Livros de receitas e despesas;

- Testamentos;

- Escrituras;

- “Silva Marques” (pergaminhos dos séculos XIII, XIV e XV – documentação relativa ao Hospital e Gafaria de Sintra).

- “Fólios de códices medievais” (pergaminhos dos séculos XIII e XIV – pautas de música, tratados de direito romano…).

Caso pretenda visitar o nosso Arquivo Histórico, efetue a sua marcação através do número de telefone 21 923 92 70

Livros disponíveis para consulta e/ou comercialização na sede da SCMS:

  • Silva, Carlos Manique da e Oliveira, Maria do Rosário (2003), Espólio Francisco Costa – Correspondência literária e pessoal – II, Edição da Santa Casa da Misericórdia de Sintra.
  • Silva, Carlos Manique da e Oliveira, Maria do Rosário (2002), Espólio Francisco Costa – Correspondência literária e pessoal – I, Edição da Santa Casa da Misericórdia de Sintra.
  • Silva, Carlos Manique da (2002), Escolas e Memória. Sintra, Edição da Santa Casa da Misericórdia de Sintra (edição bilingue).
  • Silva, Carlos Manique da (2000), Estudos históricos sobre Sintra, Edição da Santa Casa da Misericórdia de Sintra.
  • Silva, Carlos Manique da (1999), A Capela de S. Lázaro e a Gafaria de Sintra, Edição da Santa Casa da Misericórdia de Sintra.
  • Costa, Francisco (1998), Romantismo – imagens de Portugal na Europa romântica, Edição do Instituto de Sintra.
  • Neves, Moreira da (1996), À sombra da serra verde, Edição da Santa Casa da Misericórdia de Sintra. Homenagem ao ilustre escritor sintrense Francisco Costa.
  • Chorão, João Bigotte (1994), Diálogo com Francisco Costa, Edição da Santa Casa da Misericórdia de Sintra. Homenagem ao ilustre escritor sintrense Francisco Costa.
  • Costa, Francisco (1985), História da quinta e palácio de Monserrate, Publicações da Câmara Municipal de Sintra.
  • Costa, Francisco (1980), O Paço Real de Sintra – novos subsídios para a sua história, Edições da Câmara Municipal de Sintra.

Efetue a sua encomenda através do número de telefone 21 923 92 70

 

ARTE SACRA


santa2

As Misericórdias possuem um importante património artístico e histórico, enriquecido ao longo de cinco séculos de história. Falamos de um património artístico constituído por formas artísticas sacras – testemunho de um quotidiano de intensa fé cristã (alfaias litúrgicas, paramentaria, imaginária, pintura…) –, mas também de objetos que têm a sua especificidade no quadro das práticas das Misericórdias, enquanto irmandades com finalidades de solidariedade social.

É, pois, partindo de um acervo com características específicas – onde se inclui a documentação do Arquivo Histórico – que a Misericórdia de Sintra tem por objetivo criar uma sala-museu de arte sacra. Os pressupostos de partida são claros: salvaguardar um importante conjunto de peças e, simultaneamente, divulgar o espírito de comunhão que, nos últimos cinco séculos, norteou a ação da Misericórdia. No fundo, o que está em causa é a divulgação de um património que a todos pertence.

 

1 - Sto. António, Séc. XVIII, madeira policromada, doação do Sr. António Cunha e Costa

2 - Bandeira da Misericórdia, Séc. XVIII (verso e reverso), óleo sobre tela, Capela da Misericórdia de Sintra

3 - Nossa Sra. da Conceição, Séc. XVII, madeira policromada, doação da D. Maria Silveira Bleck